Return to site

A prática de Soft Skills

Compreender a teoria é bom, vivenciar a prática é imprescindível...

· soft skill,comportamento,intelig emocional,habilidade,desenvolvimento

Na última semana realizei uma conversa aberta no Senac Informática de Porto Alegre sobre as soft skills, estas habilidades sócio comportamentais que envolvem as relações.

No início do encontro para buscar reflexões a respeito de diversas categorias de habilidades, desde as de comunicação e liderança, quanto as de atuação em equipe. Depois disso lancei propostas que instigassem os participantes a agir.

Sim,. Soft skills é um pouco sobre teoria e muito sobre prática. E mais ainda sobre autonomia em relação à construção dos próprios conhecimentos. É sobre conseguir alinhar todas as suas experiências vividas e conseguir absorver seus aprendizados. É sobre conseguir traduzir conscientemente estes aprendizados e generalizar para outras experiências. Generalizar o conhecimento a seu respeito.

E vi um grupo lindo, começando a conceituar sobre empatia, resiliência, gestão do tempo, foco... A partir da conceituação esse grupo foi instigado a selecionar em sua memória consciente e afetiva sobre experiências que já tivesse vivido para se referir aos conceitos, validando a teoria com comportamentos vivenciados anteriormente. E destas experiências trouxemos a partilha. Um processo de grupo que compartilha histórias e percepções e vai construindo uma teia de histórias conectadas às teorias.

Olhar a experiência do grupo sendo construída de fora para dentro fez perceber que as habilidades que estão sendo a cada dia mais valorizadas precisam poder ser desenvolvidas em círculos de relações de confiança. É disso que trata. É disso que trato faz mais de 15 anos: círculos e relações que nos possibilitem experimentar nossas formas de expressão, limpar aquilo que não agrega e pode destruir (como comportamentos destrutivos conosco e com os outros) e alimentar tudo que leva as relações, conosco e nos grupos, a outro nível de troca e partilha. Um estado de flow que permite relações mais alinhadas porque as mentes funcionam em conexão estruturada por gestos, escolhas e sentimentos que se alinham e se complementam.

Gerar conexão. É disso que desenvolver habilidades trata. Conosco e com os outros. Ter autonomia e ação em direção a ocupar um lugar de pertencimento que nos torna parte do todo, em alinhamento. Em âncora, suporte e também limite ao que está junto da gente. É como uma engrenagem que precisa pertencer e se ajustar à peça certa para ter seu funcionamento pleno.

Imagina, então, um ambiente de trabalho no qual você não exerce a escuta, nem a colaboração, nem a empatia. Porque não sabe, ou não deseja. Você fica faltando para o todo fluir. Fica funcionando sob resistência ao invés de fluir em uma onda alinhada ao todo.

E neste grupo super disposto, no Senac, foi visível um movimento gradativo gerando esse círculo de confiança. Mostrando cada engrenagem e possibilidades de encaixes de falas, histórias e vivência. A história do outro sendo mostrada ía ativando uma memória própria de vivências que estavam sendo alinhavadas ao que hoje nomeamos como soft skills. Mas no fundo foi uma construção de um círculo de confiança, que pela partilha pode ir cada vez mais fundo para começar a identificar seus comportamentos frágeis e seus comportamentos potenciais.

Aprendemos juntos. O que ficou para mim é essa imensa necessidade do ser humano em conseguir aprimorar suas relações para um estado de maior cuidado: com a fala, com o gesto, com a escuta, com o outro e consigo. Um cuidado que exige tempo e consciência do que é o não cuidado para mudar o que é preciso.

 

O mais importante que ficou pra mim, deste encontro, é o quanto somos hábeis em gerar relações que fluem quando temos chance para isto, quando desejamos, investimos energia e dedicamos nosso acolhimento para o que está sendo expresso em nós e no outro. Potencializa o aprendizado. Cria uma camada mais funda que qualquer teoria que você possa absorver pela leitura de palavras como estas mesmas. Fica a dica: acompanha pra vir estar junto no próximo encontro. Faz um esforço pelo tempo e presença. Vale a pena aprender a ser engrenagem ativa. Estamos no mundo para agir e fazer a diferença em rede. Que ela seja um mergulho profundo para o seu melhor!

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly